Web Statistics
STF valida regra da Anvisa que proíbe adição de sabor e aroma em cigarros | Gazeta de Rondônia
Página Inicial / Brasil / STF valida regra da Anvisa que proíbe adição de sabor e aroma em cigarros

STF valida regra da Anvisa que proíbe adição de sabor e aroma em cigarros

Painel Político – Notícias no Whatsapp sobre política, economia, artigos, jurídico, cultura e viagens.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é competente para impedir aditivos em derivados de tabaco. Assim entendeu o Supremo Tribunal Federal, na primeira sessão plenária de 2018, ao reconhecer a proibição de cigarros com sabor e aroma. A decisão, entretanto, não é vinculante nem erga omnes, podendo outros tribunais avaliarem casos individuais.

O julgamento terminou empatado, em 5 a 5. Para se declarar uma norma inconstitucional, é preciso maioria absoluta (seis votos). O ministro Luís Roberto Barroso se declarou impedido por já ter assinado parecer sobre o tema, quando advogado.

A Resolução da Diretoria Colegiada 14 foi editada em 2012, proibindo a inclusão de aditivos como açúcar, adoçante, edulcorante, aromatizante e flavorizante nos cigarros. Segundo a Anvisa, a proibição diminuiria a atratividade do produto para o público jovem.

A Confederação Nacional da Indústria questionava dispositivo da Lei 9.782/1999, que trata do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, que atribui à Anvisa o poder de proibir a fabricação e a venda de produtos em caso de risco iminente à saúde. Para a autora, a agência usou dessa atribuição regulamentar para atuar em caráter genérico e abstrato.

De acordo com a relatora, ministra Rosa Weber, faz parte das atribuições da autarquia deliberar sobre o tema. “Por se tratar de produto que representa riscos à saúde público, o cigarro está submetido a regime especial de controle pela Anvisa”, afirmou.

O órgão está autorizado, segundo entendimento da ministra, a atuar em circunstâncias especiais de risco à saúde, definindo padrões técnicos do produto em questão.

A função regulatória das agências, segundo ela, não é inferior ou exterior à legislação, mas diferente, pelo seu viés técnico. “O poder normativo atribuído às agências reguladoras consiste em instrumento para a implementação das diretrizes, finalidades, objetivos e princípios expresso na Constituição e na legislação setorial”, declarou. “Poder normativo não é Poder legislativo”.

O voto da relatora foi endossado pelos ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Cármen Lúcia.

Fiscalização restrita

O ministro Alexandre de Moraes abriu a divergência. “A Lei 9.782 estabelece que a Anvisa tem competência para controlar e fiscalizar produtos, mas não lhe dá cheque em branco”, afirmou. De acordo com ele, não existe previsão na lei de criação da agência que a permita proibir qualquer produto derivado do tabaco. Os ministros Luiz Fux, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Marco Aurélio acompanharam esse entendimento.

Na prática, a norma só começa a valer agora, porque Rosa Weber havia concedido liminar em 2013 suspendendo a resolução. A produção e a venda dos cigarros com sabor estava liberada, mas a relatora pediu nesta quinta que a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, declarasse a decisão cassada.

ADI 4.874

Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

STF valida regra da Anvisa que proíbe adição de sabor e aroma em cigarros



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:STF valida regra da Anvisa que proíbe adição de sabor e aroma em cigarros
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *