Web Statistics
Bancos não aceitam mais boletos de R$ 4 mil que não estejam registrados | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Brasil / Bancos não aceitam mais boletos de R$ 4 mil que não estejam registrados

Bancos não aceitam mais boletos de R$ 4 mil que não estejam registrados

Painel Político – A informação chega primeiro aqui

Consumidores que possuem boletos de R$ 4 mil ou mais não registrados devem procurar o beneficiário, que é o emissor do boleto, para quitar a dívida

Instituições financeiras não aceitam mais boletos bancários de valor igual ou superior a R$ 4 mil que não estejam previamente cadastrados na nova plataforma de cobrança. A mudança entrou em vigor nesta segunda-feira (5) e é parte do processo que prevê o fim da convivência entre o antigo modelo de cobrança, que permitia boletos sem registro, e o atual, que aceita apenas documentos cadastrados na base de dados do novo sistema.

A partir de agora, os boletos devem ser encaminhados aos bancos para inclusão na nova plataforma de cobrança. Só depois, podem ser emitidos e enviados aos pagadores. Como explica o ‘Extra’, a responsabilidade de registro do documento não é do consumidor, mas sim do emissor, ou seja, a instituição financeira contratada para gerar os boletos de cobrança.

“Se o boleto não estiver na base da Nova Plataforma da Cobrança, os bancos não podem aceitá-lo”, explica o diretor adjunto de Operações da Federação Nacional dos Bancos (Febraban), Walter de Faria. Consumidores que possuem boletos de R$ 4 mil ou mais não registrados devem “procurar o beneficiário, que é o emissor do boleto, para quitar seu débito”, orienta.

Com a mudança, os bancos poderão controlar os boletos encaminhados, bem como restringir o envio indevido desses documentos. A nova plataforma de cobrança também tornou possível o pagamento de boletos após o vencimento em qualquer agência bancária, com cálculo automático de multas e encargos, se houver.

Cronograma

A implantação do novo sistema está sendo realizada por fases, até que boletos não-registrados de qualquer valor não sejam mais recebidos pelos bancos. Veja:

– A partir de 24 de fevereiro/2018: bancos deixarão de aceitar documentos de R$ 2 mil ou mais;

– A partir de 24 de março/2018: bancos deixarão de aceitar documentos de R$ 800,00 ou mais;

– A partir de 26 de maio/2018: bancos deixarão de aceitar documentos de R$ 400,00 ou mais;

– A partir de 21 de julho/2018: bancos deixarão de aceitar documentos de R$ 0,01 ou mais;

– Em 22 de setembro/2018: processo será concluído, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito, de doações, entre outros.

Bancos não aceitam mais boletos de R$ 4 mil que não estejam registrados



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Bancos não aceitam mais boletos de R$ 4 mil que não estejam registrados
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *