Web Statistics
Ex-deputado Carli Filho é condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por duplo homicídio com dolo eventual | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Brasil / Ex-deputado Carli Filho é condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por duplo homicídio com dolo eventual

Ex-deputado Carli Filho é condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por duplo homicídio com dolo eventual

Painel Político –

O ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho foi condenado por duplo homicídio com dolo eventual a nove anos e quatro meses de prisão pelas mortes de Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida.

O júri popular que o condenou ocorreu entre a terça-feira (27) e esta quarta-feira (28), na 2ª Vara Privativa do Tribunal do Júri, em Curitiba. Apesar da condenação, Carli não vai para a prisão imediatamente e pode recorrer em liberdade.

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri foi formado por sete pessoas da sociedade civil, escolhidas por sorteio em um grupo de 25, previamente convocadas pela Justiça. A sentença proferida por eles foi confirmada pelo juiz Daniel Ribeiro Surdi de Avelar.

Acusação x defesa

Acusação e defesa debateram e apresentaram suas teses neste segundo dia de julgamento.

O primeiro a falar com o promotor Marcelo Balzer, que afirmou que Carli Filho assumiu o dolo eventual, pois dirigiu embriagado, em alta velocidade, falando no celular e com a carteira de motorista cassada.

Além disso, segundo o promotor, o réu não deu ouvidos às advertências de pessoas que estavam com ele para não dirigir naquelas condições.

Para o promotor, a indiferença do ex-deputado diante da situação indica o dolo eventual. “Ele [Carli Filho] era o carrasco da corda da guilhotina”, afirmou o promotor.

Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida morreram na batida de trânsito (Foto: RPC/Reprodução)

Depois do promotor, foi a vez de Elias Mattar Assad falar. Ele é advogado das famílias das vítimas e assistente de acusação. Segundo ele, a defesa sempre tentou culpar os mortos.

“Aquela rua era dele”, falou o advogado sobre Carli Filho dentro do “possante” na noite do acidente.

Assim como o promotor, Assad afirmou que o ex-deputado assumiu o risco de dolo eventual.

O advogado ressaltou o fato de Carli Filho ser infrator de trânsito, com diversas multas e estar à época do acidente com a carteira de motorista cassada. Os 130 pontos da carteira de motorista mostram que Carli Filho nunca aceitou o não das placas de trânsito e da lei, segundo Assad.

O advogado ainda disse que, quem criou a situação de perigo, foi o réu. “Se arrepender não quer dizer deixar de assumir o risco”, avaliou.

Elias Mattar Assad chegou a dizer que há sangue das vítimas no Plenário do Tribunal do Júri.

A defesa procurou apresentar apontamentos que desqualificassem o dolo eventual do processo, a fim de que o caso seja tratado como imprudência. Em nenhum momento, foi pedida absolvição do réu.

“Ele [Carli] tem que ser condenado, mas não por homicídio doloso”, disse o advogado Alessandro Silvério. “Eu errei e peço para pagar pelo meu erro, é isso que a defesa está pedindo. Muito mais que martírio, a cruz de Cristo quer dizer piedade”, afirmou.

Os advogados de defesa tentaram mostrar aos jurados que o carro de deputado não decolou, como sustentou a acusação com base em laudos de perícia que foi contestada pela defesa.

Além disso, um dos argumentos da defesa de Carli Filho é o de que como o carro das vítimas não parou, mas apenas reduziu a velocidade no cruzamento com semáforo intermitente, os jovens concorreram para o acidente.

Após a arguição de 1h30 tanto para acusação quanto para defesa, ocorreu um intervalo para o almoço. Na sequência, foram mais 1h para cada parte de réplica e tréplica quando os ânimos ficaram mais exaltados.

Carli Filho saiu algumas vezes do Plenário, visto que não era obrigado a ficar. Ele chorou após abraçar familiares depois da primeira fala da acusação. Em outro momento, abaixou a cabeça quando o advogado falou das cicatrizes no rosto do ex-deputado.

O fato

De acordo com denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), o Passat de Carli voou pela avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, em Curitiba, e bateu no Honda Fit em que os dois jovens estavam, matando ambos na hora, em 7 de maio de 2009.

O então parlamentar dirigia em velocidade entre 161 km/h e 173 km/h, conforme apontaram laudos periciais feitos posteriormente, com a carteira de habilitação cassada — 130 pontos e 30 multas, sendo 23 por excesso de velocidade —, e alcoolizado (ele próprio confessou ter bebido e dirigido). Ele teve ferimentos graves na cabeça e ficou internado por quase um mês.

Durante esses nove anos, a defesa de Carli apresentou mais de 30 recursos no Tribunal de Justiça do Paraná, no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal, mas todos foram negados.

Carli Filho (Foto: Arte/G1)
 Fonte: g1

Ex-deputado Carli Filho é condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por duplo homicídio com dolo eventual



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Ex-deputado Carli Filho é condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por duplo homicídio com dolo eventual
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *