Web Statistics
CNI lança plano com sugestões para o crescimento da economia até 2022 | Gazeta de Rondônia
quinta-feira ,20 setembro 2018

Página Inicial / Brasil / CNI lança plano com sugestões para o crescimento da economia até 2022

CNI lança plano com sugestões para o crescimento da economia até 2022

Documento orientará as demandas que líderes empresariais entregarão aos candidatos à Presidência da República este ano

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou, nesta segunda-feira (5/3), o Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022, com uma agenda do setor para o próximo governo. Construído com a participação de líderes empresariais, o documento orientará os debates e as propostas que eles entregarão aos candidatos às eleições deste ano.

O mapa aponta os 11 fatores-chave, as ações e os objetivos capazes de aumentar a competitividade e promover o crescimento sustentado da economia até 2022, quando se encerrará o mandato do próximo presidente da República.

Segundo a CNI, para superar a pior crise da história e voltar a crescer de forma sustentada, é preciso atuar em duas frentes. Uma é a superação rápida das deficiências que aumentam os custos de produção e comprometem a produtividade. A outra é o desenvolvimento de competências para construir o futuro. Isso exige iniciativas como o aumento da capacidade de inovação das empresas, a inserção na indústria 4.0 e a participação na economia de baixo carbono.

“Fazer mais do mesmo não reverterá, com a intensidade necessária, a trajetória percorrida nos últimos anos. Com um trabalho contínuo e persistente de reformas econômicas e institucionais, é possível recuperar e alcançar patamares mais elevados de produtividade e competitividade”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Simulações feitas pela CNI mostram que, com a implementação das ações propostas no mapa, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro – medido pela paridade de poder de compra – crescerá 4% ao ano, em média, a partir de 2023. Caso esse cenário se confirme, o PIB per capita aumentará 3,5%, em média, também a partir de 2023, com a população crescendo a uma taxa de 0,5% ao ano. Dessa forma, o PIB per capita do Brasil atingiria US$ 50 mil em 2054, o mesmo patamar da renda dos Estados Unidos, da Holanda e da Suíça em 2016.

O mapa alerta que a recuperação da capacidade de competir nos mercados globais e a volta do crescimento sustentado dependem do aumento da produtividade. Dados do Fórum Econômico Mundial mostram que o Brasil vem caindo no ranking global de competitividade. Em 2013, ocupava a 48ª posição entre 144 países analisados. Em 2017, foi para 80º entre 137 nações. “A perda da competitividade nacional compromete o crescimento econômico e a geração de emprego e renda”, destaca o documento da CNI.

O estudo aponta que, de 2006 a 2016, a produtividade brasileira cresceu menos do que a dos dez principais parceiros comerciais do país. Nesse período, a produtividade no trabalho da indústria do Brasil aumentou 5,5%, enquanto a dos Estados Unidos subiu 16,2% e a da Argentina, 11,2%. Em 2017, a produtividade brasileira teve incremento de 4,5% em relação a 2016. Mas, como alerta a CNI, é preciso avançar ainda mais para compensar o baixo desempenho dos anos anteriores.

Competitividade sustentável

Diante desse cenário, a edição 2018-2022 do Mapa Estratégico da Indústria traz os 11 fatores-chaves para o Brasil ganhar competitividade de forma sustentável. São eles: segurança jurídica; ambiente macroeconômico; eficiência do estado; governança e desburocratização; educação; financiamento; recursos naturais e meio ambiente; tributação; relações do trabalho; infraestrutura; política industrial, de inovação e de comércio exterior; produtividade e inovação na empresa.

Os fatores-chave são desdobrados em 38 temas prioritários e 60 objetivos com as respectivas metas e seus indicadores. No fator-chave segurança jurídica, por exemplo, um dos objetivos é dar maior qualidade, previsibilidade e qualidade das normas.

Os problemas derivados da insegurança em leis e regulações no ambiente de negócios se exacerbaram. Esses problemas, somados à relação superposta e, por vezes, conflituosa entre poderes e entre poderes/órgãos de controle, criaram uma segunda geração do Custo Brasil, com impacto sobre a produtividade“. (Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022)

Os temas saúde e segurança pública foram incluídos como prioridade no fator-chave Eficiência do Estado, Governança e Desburocratização. “O quadro atual do sistema de saúde brasileiro e da segurança pública, além de resultar em baixa qualidade de vida para a população, afeta negativamente a competitividade da indústria em razão da queda da produtividade do trabalho e do aumento de custos”, diz a publicação.

Ganharam destaques na nova edição do Mapa a Indústria 4.0 e a economia digital. Também foram enfatizadas as questões relacionadas ao uso eficiente dos recursos naturais e a conservação do meio ambiente, a política industrial, de inovação e comércio exterior, a educação e a produtividade e inovação dentro da empresas.

A primeira versão do Mapa Estratégico da Indústria, que abrangia o período 2007-2015, foi lançada em abril de 2005. Entre as 18 metas estabelecidas para 2015, estavam o crescimento de 7% para o Produto Interno Bruto (PIB), a expansão de 6% na produtividade industrial e a redução dos juros reais para 4% ao ano. O acompanhamento dos indicadores mostrou que, de 2007 a 2013, o Brasil reduziu as desigualdades sociais e avançou na inclusão digital da população. Mas não conseguiu fazer os investimentos necessários em saneamento, transportes e energia, ampliar as exportações e aumentar o ritmo de expansão da produtividade industrial e o crescimento da economia.

Em maio de 2013, a CNI apresentou a segunda edição do mapa, desta vez,  para o período 2012-2022, com dez fatores-chaves. O acompanhamento dos indicadores mostrou a deterioração da economia brasileira. Com a queda da atividade, dos investimentos e do emprego, e o aumento da inflação e dos juros registrados a partir de 2014,  o país ficou muito distante dos objetivos traçados.

Fonte: metropoles

 

O post CNI lança plano com sugestões para o crescimento da economia até 2022 apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:CNI lança plano com sugestões para o crescimento da economia até 2022
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *