Web Statistics
Gravações denunciam pedido de propina no Ministério do Trabalho | Gazeta de Rondônia
quarta-feira ,21 novembro 2018
Página Inicial / Brasil / Gravações denunciam pedido de propina no Ministério do Trabalho

Gravações denunciam pedido de propina no Ministério do Trabalho

Uma conversa gravada pelo empresário gaúcho Afonso Rodrigues de Carvalho, dono de uma transportadora e presidente de um sindicato da área de transporte em Goiás, mostra dois lobistas pedindo R$ 4 milhões em troca de um serviço junto ao Ministério do Trabalho. A informação é da revista Veja, cuja reportagem conta ainda que o serviço seria possível com a ajuda do deputado Jovair Arantes, líder do PTB na Câmara dos Deputados e aliado do presidente Michel Temer.

Os lobistas que aparecem na conversa são Verusca Peixoto da Silva e Sílvio Assis. Na gravação, de mais de 30 minutos, Assis teria detalhado como funciona a estrutura no ministério e que haveria uma sociedade oculta entre o PTB e o Solidariedade, que controlaria o setor de registro de sindicatos.

O dinheiro, ainda segundo a gravação obtida pela Veja, seria usado para subornar o “pessoal técnico da pasta e sobrar dinheiro para o pessoal político, entre eles Jovair Arantes”. A publicação aponta para o possível envolvimento de Rogério e Leonardo Arantes, sobrinhos do deputado.

A lobistas Verusca Peixoto confirmou a cobrança e o pagamento de propina, no entanto, todos os demais envolvidos no caso negam a existência de qualquer irregularidade.

Polêmicas no ministério

O PTB integra a base aliada do governo de Michel Temer e comanda a pasta do trabalho. No começo do ano, a sigla esteve às voltas com a polêmica indicação da deputada federal Cristiane Brasil, cuja posse foi suspensa pela Justiça sucessivas vezes. Condenada por infrações trabalhistas e investigada por associação com o tráfico durante as eleições de 2010, a filha do presidente nacional do partido, o ex-deputado federal condenado no Mensalão Roberto Jefferson, segue com a posse impedida pela Justiça.

No último dia 20, o partido anunciou ter desistido de insistir no nome de Cristiane e tende a optar por tornar definitivo o ministro interino Helton Yomura. No entanto, o nome dele também está envolto em polêmica: empresa ligada a ele foi alvo de pelo menos 22 processos trabalhistas, supostamente por não pagar adicional de insalubridade, hora extra, FGTS, férias e 13º salário a funcionários.

Fonte: metropoles

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *