Web Statistics
MPF ajuiza ação para proibir Conselho de Psicologia de punir profissionais que oferecem ‘cura’ a transexuais e travestis | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Brasil / MPF ajuiza ação para proibir Conselho de Psicologia de punir profissionais que oferecem ‘cura’ a transexuais e travestis

MPF ajuiza ação para proibir Conselho de Psicologia de punir profissionais que oferecem ‘cura’ a transexuais e travestis

Norma de 29 de janeiro deste ano orienta profissionais a ‘reconhecer’ e ‘legitimar’ a ‘autodeterminação’ das pessoas em relação ‘às suas identidades de gênero’

O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás ajuizou ação para suspender imediatamente a resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proíbe tratamentos de “cura” para transexuais e travestis. A norma vale desde 29 de janeiro deste ano e orienta aos profissionais “reconhecer” e “legitimar” a “autodeterminação” das pessoas em relação “às suas identidades de gênero”.

O pedido, feito na última quinta-feira (5), está na 4ª Vara da Justiça Federal em Goiânia e ainda não foi analisado. Em sua fundamental, o procurador da República Ailton Benedito pede antecipação de tutela (aprovação já em caráter liminar); proibição ao CFP de aplicar qualquer punição a psicólogos que descumpram a resolução; comunicação a todos os conselhos regionais sobre uma eventual suspensão.

O procurador pede ainda que seja aplicada multa diária de R$ 200 mil ao CFP e de R$ 50 mil aos agentes públicos que descumprirem uma eventual decisão judicial favorável à causa. O G1 procurou o Conselho Federal de Psicologia para comentar o caso e aguarda envio de nota.

“Regulamentos não podem, sem respaldo legal, conter a atividade profissional propriamente dita, como, por exemplo, impor aos psicólogos um modelo único de pensamento ou impedir o uso de terapias psicológicas, pois o dever-poder regulamentar do CFP não é absoluto, capaz de, por si, predefinir a interpretação e os métodos adotados.”

“É insofismável, pois, que a Resolução em testilha é autoritária, arbitrária, ilegal, inconstitucional”, afirma o procurador na ação.
A norma do Conselho Federal de Psicologia traz oito orientações. Nelas, o órgão afirma que os psicólogos contribuirão para “uma reflexão voltada à eliminação da transfobia”, não exercerão ações que favoreçam discriminação ou preconceito, não seram coniventes ou omissos à discriminação de pessoas transexuais e travestis, não farão pronunciamentos – inclusive na web – que reforcem preconceito e não colaborarão para uma visão da transexualidade como doença. O documento foi assinado eletronicamente pelo presidente do CFP, Rogério Giannini.

‘Cura gay’

No ano passado, a o juiz federal do Distrito Federal Waldemar Claudio de Carvalho causou polêmica ao “liberar” psicólogos a tratarem gays e lésbicas como doentes, permitindo ofertas de terapias de “reversão sexual” sem que houvesse qualquer tipo de censura por parte dos conselhos de classe.

A decisão dele era em caráter liminar e foi tomada com base em uma ação popular assinada por psicólogos defensores de terapias de reversão sexual. Três profissionais foram denunciados, entre 2012 e 2017, por oferecem trabalhos do tipo. Uma delas, que era uma das autoras da ação, teve o registro cassado.

O Conselho recorreu da decisão e contou com apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que atuou como “amicus curiae” – “amigo da corte”, alguém externo que ajuda a elucidar questões relacionadas ao tema. O juiz afirmou que nunca considerou homossexualidade doença e alterou a decisão posteriormente, mantendo as normas originais do CFP.

G1/GO

O post MPF ajuiza ação para proibir Conselho de Psicologia de punir profissionais que oferecem ‘cura’ a transexuais e travestis apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:MPF ajuiza ação para proibir Conselho de Psicologia de punir profissionais que oferecem ‘cura’ a transexuais e travestis
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Audiência do sítio de Atibaia é suspensa por greve dos caminhoneiros

Segundo Sérgio Moro, há depoimentos marcados para segunda (28), pela manhã e à tarde, mas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *