Web Statistics
Comissão aprova mudança na norma para doação de órgãos em caso de falecimento | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Brasil / Comissão aprova mudança na norma para doação de órgãos em caso de falecimento

Comissão aprova mudança na norma para doação de órgãos em caso de falecimento

O projeto segue agora para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou nesta quarta-feira (11) o projeto do senador Lasier Martins (PSD-RS) que torna explícito que o consentimento familiar, no caso de doação de órgãos, tecidos e partes do corpo humano após a morte, só será necessário caso o potencial doador não tenha, em vida, se manifestado expressa e validamente a respeito (PLS 453/2017).

Durante a votação, Lasier defendeu a adoção de políticas que estimulem a doação de órgãos, devido à carência desses para transplantes. Disse ainda que tem preocupação quanto ao respeito à vontade do doador, nem sempre considerada pela família nos eventos post-mortem, abaladas que estão pela dor, segundo ressaltou.

Para que o projeto traga resultados mais efetivos, o senador Otto Alencar (PSD-BA) defendeu a sua complementação por campanhas de publicidade por parte do Ministério da Saúde, para que potenciais doadores conheçam o direito e possam manifestar sua intenção.

– Eu sei o dia em que Deus me pôs neste mundo, foi no dia 28 de agosto de 1947. Mas não sei o dia em que me juntarei de novo à criação, e o fato é que ninguém sabe, por mais jovem que seja – ponderou.

Tema polêmico
O relator da proposta, senador Paulo Rocha (PT-PA), lembrou que a questão sobre a quem compete decidir se uma pessoa falecida é ou não doadora de órgãos “tem provocado polêmica, tendo sofrido modificações ao longo do tempo”.

– Entre 1997 e 2001, vigorou a doação presumida, ou seja, todos eram doadores de órgãos a menos que tivessem registrado em documento oficial a vontade em contrário. Mas esta lei acabou tendo um efeito contrário ao desejado, pois houve uma forte mobilização social contrária. Voltou a vigorar a consulta à família no que se refere à retirada de órgãos para transplantes – ressaltou.

O fato é que persiste o problema da carência de órgãos para transplantes, reforçou o senador. Ele disse acreditar que a questão poderá ser minorada pela atual proposta.

O projeto segue agora para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Fonte: agenciasenado

O post Comissão aprova mudança na norma para doação de órgãos em caso de falecimento apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Comissão aprova mudança na norma para doação de órgãos em caso de falecimento
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Anvisa dá passo rumo à regulamentação da maconha

O assunto ganhou força em novembro de 2017 e, agora, pesquisadores pretendem pressionar com um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *