Web Statistics
Alckmin pediu que inquérito fosse tirado de promotor, diz MP-SP | Gazeta de Rondônia
Página Inicial / Brasil / Alckmin pediu que inquérito fosse tirado de promotor, diz MP-SP

Alckmin pediu que inquérito fosse tirado de promotor, diz MP-SP

Instituição cita petição enviada pelo tucano ao procurador-geral de Justiça sobre investigação que apura supostos pagamentos de caixa dois pela Odebrecht

O Ministério Público de São Paulo informou nesta quinta-feira (10) que partiu do ex-governador Geraldo Alckmin e pré-candidato do PSDB à Presidência o pedido para que o procurador-geral de Justiça paulista, Gianpaolo Poggio Smanio, retirasse das mãos do promotor do Patrimônio Público o inquérito civil que investiga o tucano. Ele é suspeito de improbidade administrativa em supostos pagamentos de 10,3 milhões de reais via caixa dois às suas campanhas em 2010 e 2014, delatados pela Odebrecht.

Segundo o MP, Alckmin apresentou uma petição a Gianpaolo Smanio alegando que o caso se circunscreve à esfera eleitoral e que a atribuição para investigar eventual improbidade administrativa é do procurador-geral. Smanio acolheu o pedido e solicitou, na terça-feira (8), a “remessa imediata” do inquérito para “avaliar e decidir” quem tem a competência para investigar o ex-governador.

O procurador foi nomeado para o cargo por Geraldo Alckmin, em abril de 2016, e reconduzido em abril de 2018 pelo atual governador, Márcio França (PSB). Nas duas ocasiões, ele foi o mais votado em eleições internas do MP.

Apesar do pedido para que o inquérito saísse da promotoria, Alckmin afirmou nesta quinta-feira (10) que não teme a investigação. “Para mim não tem problema, eu nem foro privilegiado tenho”, disse o tucano, durante visita a uma feira do setor supermercadista na capital paulista. “Sou contra essa coisa de privilégio, já prestei contas e, se precisar, a gente presta de novo, nenhum problema”, completou.

A requisição do inquérito foi criticada pelo promotor Ricardo Manuel Castro, que era o responsável pela investigação e disse que “não abdica da sua atribuição”. Ele classificou a decisão como “avocação indevida” da investigação e encaminhou nesta quinta uma representação ao Conselho Nacional do Ministério Público, em Brasília, para suspender a decisão de Gianpaolo Smanio e reaver o inquérito de Alckmin. O pedido será analisado pelo conselheiro Marcelo Weitzel.

Castro argumentou que, após renunciar ao governo, no dia 6 de abril, para disputar a Presidência da República, Alckmin perdeu não apenas o foro privilegiado na esfera criminal como também a prerrogativa de ser investigado pelo procurador-geral na área cível.

Campanha na internet
Nesta quinta-feira, o procurador Áureo Lopes, do Ministério Público Federal (MPF), lançou uma campanha na internet pedindo para que Smanio devolva o inquérito Ricardo Castro. Com mais de 100 assinaturas, o manifesto diz que a “interferência é vedada pela Constituição”. A bancada do PT na Assembleia Legislativa também representou contra o procurador-geral de Justiça no Conselho Superior do MP paulista.

Em nota, Gianpaolo Smanio afirmou que a contestação do promotor “carece de fundamentação porque não houve avocação” do inquérito e que compete a ele definir questionamentos sobre a atribuição de investigação no MP estadual.

A assessoria de Alckmin informou que o caso “não se trata de improbidade administrativa e o subprocurador-geral da República, Luciano Maia, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) já decidiram que o caso é de cunho exclusivamente eleitoral”.

Fonte: veja

O post Alckmin pediu que inquérito fosse tirado de promotor, diz MP-SP apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Alckmin pediu que inquérito fosse tirado de promotor, diz MP-SP
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *