Web Statistics
Refugiada haitiana se fingiu de morta para acabar com estupro coletivo em Curitiba; 4 foram presos | Gazeta de Rondônia
Página Inicial / Brasil / Refugiada haitiana se fingiu de morta para acabar com estupro coletivo em Curitiba; 4 foram presos

Refugiada haitiana se fingiu de morta para acabar com estupro coletivo em Curitiba; 4 foram presos

Crime foi realizado na frente do marido da vítima haitiana

Quatro jovens, com idades entre 18 e 25 anos, foram presos suspeitos de cometer um estupro coletivo contra uma refugiada haitiana que mora em Mandirituba, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a polícia, duas das prisões aconteceram na segunda-feira (14), data seguinte ao crime, enquanto as outras duas foram realizadas nesta terça-feira (15). Os quatro são investigados por participação direta no crime e só teriam parado as agressões após a vítima se fingir de morta. Todo o crime foi cometido na frente do marido da haitiana.

De acordo com a delegada Gislaine Ortega Pineda, os quatro disseram que invadiram a residência com intenção de roubar, mas ao perceberem a mulher, decidiram pelo estupro. “Eles confessaram o crime e alegaram que deu ‘uma loucura’, por isso decidiram ‘barbarizar’. Por duas horas e meia, cometeram todos os tipos de abusos possíveis e machucaram com uma faca várias partes do corpo, incluindo a área da genitália”, explicou a delegada.

O crime aconteceu na região da Colônia Lima. Segundo a polícia, a vítima está grávida e mora no Brasil com o marido desde janeiro. O casal não fala português e reside no local por conta de um projeto de abrigo a refugiados.

À Banda B, Gislaine Ortega deu detalhes de como o crime aconteceu e explicou que a vítima precisou se fingir de morta para acabar com as agressões. “Em um momento dos abusos, os agressores teriam se voltado para o marido, então ela aproveitou para correr. A residência é de madeira e possui uma cerca do lado de fora, que ela rompeu ao tentar fugir. Com a situação, ela aproveitou para se fingir de morta e assustou os agressores, que correram do local”, disse.

Dois dos suspeitos foram presos pela Polícia Militar na segunda-feira. Na delegacia, a vítima confirmou os dois como envolvidos pelo crime. Inicialmente, eles negaram participação, mas confessaram logo em seguida. Os outros dois foram detidos após trabalho de investigação da Delegacia de Fazenda Rio Grande.

A refugiada está no hospital e foi medicada. Ela e o marido seguem recebendo auxílio do projeto que os abrigou.

BandaB

O post Refugiada haitiana se fingiu de morta para acabar com estupro coletivo em Curitiba; 4 foram presos apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Refugiada haitiana se fingiu de morta para acabar com estupro coletivo em Curitiba; 4 foram presos
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *