Web Statistics
Com perfis fakes, estuprador se passava por produtora de TV para violentar meninas | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Últimas / Com perfis fakes, estuprador se passava por produtora de TV para violentar meninas

Com perfis fakes, estuprador se passava por produtora de TV para violentar meninas

A lista do homem possui contato de mais de cem adolescentes

Um homem de 40 anos foi preso em flagrante pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) acusado de estuprar uma adolescente, em Curitiba. O crime aconteceu na sexta-feira (15) e a suspeita é que outras garotas já tenham sido vítimas de Ricardo Damasceno Figueiredo, que usava perfil falso nas redes sociais. A lista do homem possui contato de mais de cem adolescentes.

O caso chegou até a especializada por meio de uma denúncia grave. A adolescente de 15 anos, acompanhada dos avós, relatou no Nucria que tinha sido vítima de estupro, há poucas horas. A delegada Mônica Meister disse à imprensa, durante uma coletiva, que a equipe de investigação saiu na hora para checar a denúncia. “Uma das vítimas veio até a especializada com os avós noticiando que tinha sido estuprada. É uma adolescente de 15 anos e naquele momento os policiais daqui foram até o local onde tinha acontecido o fato, no bairro Tingui. Lá, encontraram um homem de 40 anos fechando a casa, pronto para fugir. Foi dado voz de prisão e ela reconheceu ele sem sombra de dúvidas”, contou.

Em depoimento formal, a adolescente contou que foi procurada por uma mulher, que seria produtora de um canal de televisão, para fazer um recrutamento de jovens curitibanas. “Ela contou que os dois conversavam pela internet, mas que pensava ser uma mulher, Letícia Chagas, que estava agenciando modelos de tvs. Na verdade, era um perfil fake. Mas ela se interessou, e os pedidos eram para que ela mandasse fotos de calcinha, de sutiã, fotografias nuas. Ela tinha sido aprovada, digamos assim, e então marcaram um encontro como se fosse uma mulher, essa Letícia”, contou a delegada.

No entanto, quando a adolescente chegou ao local combinado, encontrou o acusado armado. “Era uma casa, a porta estava aberta e ela entrou. Ele obrigou essa menina a tirar a roupa e manteve relação sexual a força com ela. Depois, mandou que ela pegasse um Uber e fosse embora”, detalhou Mônica.

O acusado disse aos investigadores que tudo não passava de uma brincadeira e negou que tivesse forçado a menina a ter relações com ele, e que tinha sido consensual. Na casa do acusado, a polícia apreendeu computador e celular. A agenda telefônica levava o registro de mais de cem adolescentes, entre mensagens, contatos e números.

Na delegacia, a polícia descobriu que Figueiredo já tinha sido preso no Rio de Janeiro, na cidade de São Gonçalo, em 2013, pelo mesmo motivo – pedofilia.

“As adolescentes estão propensas a esse tipo de crime porque são jovens sonhadoras e com propostas de ganhar R$ 12 mil por mês, trabalhando em novelas. Ainda mais que é um perfil feminino, de mulher, primeira ganha a confiança dessas meninas, atrai mesmo”, finaliza a delegada.

As investigações continuam e poderão apontar se havia outras meninas em conversas recentes que também possam ter sido estupradas, mas que não fizeram a denúncia. O acusado permanece preso e a adolescente já passou por exames de corpo de delitos e encaminhamento ao Hospital das Clínicas para medidas contra doenças e gravidez.

O post Com perfis fakes, estuprador se passava por produtora de TV para violentar meninas apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Com perfis fakes, estuprador se passava por produtora de TV para violentar meninas
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Último sobrevivente de tribo, índio vive solitário há 22 anos em floresta de RO

Índio de Terra Indígena Tanaru foi visto pela primeira vez por equipes da FPE Guaporé …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *