Web Statistics
Estudo vai monitorar 230 pontos do Rio Doce e investigar contaminação | Gazeta de Rondônia
Página Inicial / Últimas / Estudo vai monitorar 230 pontos do Rio Doce e investigar contaminação

Estudo vai monitorar 230 pontos do Rio Doce e investigar contaminação

A pesquisa terá a participação de pesquisadores de mais de 24 instituições em todo o país

Um termo de cooperação assinado entre a Fundação Renova e a Fundação Espírito-Santense de Tecnologia (Fest) permitirá a realização de um estudo sobre a biodiversidade da porção capixaba do Rio Doce. Serão monitorados 230 pontos, incluindo uma larga região oceânica no entorno da foz, entre Guarapari (ES) e Porto Seguro (BA).

A pesquisa terá a participação de pesquisadores de mais de 24 instituições em todo o país. Eles vão investigar a qualidade da água, os sedimentos, as condições de marés e ondas, os manguezais e as restingas. Serão observados ainda o comportamento de seres vivos, de bactérias a baleias. Análises irão aferir a concentração de contaminantes em peixes e camarões, entre outros organismos.

A Fundação Renova foi criada para reconstruir as comunidades e conduzir a recuperação do meio ambiente após o rompimento de uma barragem da mineradora Samarco em Mariana (MG), em novembro de 2015. No episódio, considerado a maior tragédia ambiental do Brasil, foram liberados no ambiente cerca de 39 milhões de metros cúbicos de rejeitos, que destruíram distritos, devastaram a vegetação nativa e poluíram mananciais da Bacia do Rio Doce.

A criação da Fundação Renova é parte de acordo firmado entre o governo federal, os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo, a Samarco e suas acionistas, Vale e BHP Billiton. Embora este acordo ainda não tenha sido homologado judicialmente, ele vem sendo colocado em prática.

Resultados

A previsão é de que o monitoramento dure cinco anos e, no primeiro ano, serão coletadas cerca de 43 mil amostras de água, sedimentos, animais e vegetais. Os pesquisadores farão uso de drones, aeronaves, embarcações, sensores, boias automatizadas e imagens de satélite. O investimento previsto no termo de cooperação é de R$ 120 milhões.

Semestralmente, um workshop com a participação dos órgãos públicos ambientais será organizado para apresentação de resultados. “Os resultados do estudo ajudarão a mensurar os impactos do rejeito da barragem de Fundão sobre o ambiente e poderão dar subsídios para a tomada de decisão sobre a sanidade do pescado e indicar eventuais medidas reparatórias”, informa a nota da Fundação Renova.

Fonte: agenciabrasil

O post Estudo vai monitorar 230 pontos do Rio Doce e investigar contaminação apareceu primeiro em Painel Político.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Estudo vai monitorar 230 pontos do Rio Doce e investigar contaminação
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Último sobrevivente de tribo, índio vive solitário há 22 anos em floresta de RO

Índio de Terra Indígena Tanaru foi visto pela primeira vez por equipes da FPE Guaporé …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *