Página Inicial / Últimas / Legado do PT: Parceria espacial Brasil-Ucrânia custou R$ 1 bilhão e acabou sem lançar foguete

Legado do PT: Parceria espacial Brasil-Ucrânia custou R$ 1 bilhão e acabou sem lançar foguete

Cada país investiu cerca de R$ 500 milhões em empresa binacional, criada em 2003 e definitivamente extinta em 2019 por Medida Provisória

Uma parceria entre Brasil e Ucrânia consumiu quase R$ 1 bilhão dos dois países, com o objetivo de lançar foguetes da série ucraniana Cyclone-4 a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão. O projeto resultou na criação de uma empresa binacional, a Alcântara Cyclone Space (ACS), sediada no país e sepultada em 2019, por inviabilidade comercial, sem jamais ter cumprido seu objetivo de concluir um lançamento e contribuir para a inclusão do Brasil no hall de países que dominam a tecnologia.

A ACS foi criada em 2003, primeiro ano do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Por parte do Brasil, o investimento foi de R$ 483 milhões, todo ele em dinheiro público. O acordo buscava explorar o potencial da localização privilegiada do CLA para o desenvolvimento do país no setor. Situada próximo à linha do Equador, o impulso natural da Terra faz com que os foguetes gastem menos combustível, o que proporciona veículos mais leves e capazes de transportar mais carga – no caso, satélites. Os números foram fornecidos por órgãos governamentais, para auditoria do TCU.

A base fica também em uma área isolada e próxima ao mar, o que evita riscos a populações nativas em casos de acidentes e explosões, episódios relativamente comuns no setor. Mesmo com esses atributos, os projetos do Brasil nesse campo falharam, ao tentar lançar três foguetes. Sem dominar a tecnologia, o país e foi buscar um parceiro que o ajudasse a se desenvolver neste segmento, dentro de uma política de cooperação entre países em desenvolvimento: o chamado alinhamento Sul-Sul.

O CLA fazia parte de um projeto para desenvolver o setor de tecnologia de foguetes no Brasil / Força Aérea Brasileira

Na Ucrânia, o problema era oposto: importante centro espacial desde os tempos da União Soviética, o país já dominava a tecnologia, mas não dispunha de uma base de lançamentos e a tensão diplomática com a Rússia o impedia de utilizar as instalações da potência vizinha. Pelos termos do acordo, os governos brasileiro e ucraniano capitalizariam igualmente a ACS.

Os foguetes, produzidos em Dnepropetrovsk, pela agência espacial ucraniana, chegariam de navio para lançamento no CLA, onde empresas brasileiras iniciaram a construção dos prédios-sede das instalações da empresa binacional.

Sérgio Rezende foi ministro da Ciência e Tecnologia no governo Lula. Envolvido no projeto da ACS, o professor da UFPE integrou o conselho da binacional na gestão de seu sucessor no cargo, Aloízio Mercadante (PT), e acompanhou de perto a evolução das negociações. Ele explica que a escolha do parceiro não se deu ao acaso.

Países com programa espacial completo não têm interesse em desenvolver programas com o Brasil, porque já são independentes, como EUA, França e Rússia. Dois países só cooperam de forma realmente parceira quando um tem interesse no outro. Interesse que não seja exclusivamente comercial, mas de desenvolvimento conjunto. Os dois países tinham o que oferecer um ao outro. A Ucrânia tinha um programa espacial já em 1930 e tradição na aviônica. O avião Antonov, conhecido como soviético, foi fabricado na Ucrânia, quando ela era parte daquele país.Sérgio Rezende, ex-ministro da Ciência e Tecnologia

O programa ucraniano-brasileiro previa que cada parte integralizasse o equivalente a um bilhão de dólares na empresa binacional. Desafio que se agravou em meio à desvalorização do real e diante de crises econômicas enfrentadas pela Ucrânia, agravados pela tensão com a Rússia, que levou à invasão da península da Crimeia. Episódios que fizeram com que os dois parceiros atrasassem os depósitos. O governo do país europeu chegou a pedir um empréstimo ao BNDES, o que foi negado pelo banco de fomento, por violar a legislação brasileira.

Em 2015, um decreto da presidente Dilma Rousseff (PT) denunciou unilateralmente o contrato, por “desequilíbrio na equação tecnológico-comercial”, o que gerou protestos dos europeus, que insistiam na manutenção do projeto. O assunto foi alvo de um processo no Tribunal de Contas da União (TCU), a pedido do Congresso Nacional, para analisar as condições do contrato e o destino dos investimentos brasileiros.

The post Legado do PT: Parceria espacial Brasil-Ucrânia custou R$ 1 bilhão e acabou sem lançar foguete appeared first on Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Legado do PT: Parceria espacial Brasil-Ucrânia custou R$ 1 bilhão e acabou sem lançar foguete
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Extra TBN: Gusttavo Lima homenageia Bolsonaro adesivando seu helicóptero, veja

Gusttavo Lima mandou plotar helicóptero do Frigorífico Goiás com a bandeira do Brasil e elementos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *