Página Inicial / Últimas / Extra TBN: AGU diz que outro Poder não pode revisar indulto a Silveira

Extra TBN: AGU diz que outro Poder não pode revisar indulto a Silveira

Para o órgão, “interferência” do Judiciário no mérito do decreto seria “atentado a harmonia entre os Poderes”

A AGU (Advocacia Geral da União) disse nesta sexta-feira (29) que o indulto do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) “não pode ser objeto de releitura por outro Poder”. Leia a íntegra do documento (313 KB).

A manifestação foi feita em ação popular que tramita na Justiça Federal do Rio de Janeiro. Os advogados André Luiz Figueira Cardoso e Rodolfo Roberto Prado pedem a anulação do decreto de indulto.

De acordo com parecer da AGU, a“interferência” do Judiciário no mérito da decisão de Bolsonaro em conceder o perdão a Silveira “representaria, em última instância, a desnaturação do instituto de indulto e claro atentado à harmonia e a independência entre os Poderes”. 

“Por mais que o ineditismo do Decreto de 21 de abril de 2022 cause certa inquietação, o fato é que concessão da graça tem alicerce constitucional, axiológico, histórico e comparado”, afirmou o órgão. “A intervenção em seu conteúdo meritório, por outro lado, é desconhecida e sequer cogitada nas democracias modernas. Não há de se falar, portanto, em desvio de finalidade, o que vai ao encontro da decisão do Supremo Tribunal Federal nos autos da ADI 5.874”. 

A manifestação também diz que não é preciso aguardar o fim do processo, chamado de trânsito em julgado, para que os efeitos do decreto tenham validade. A AGU cita decisão anterior do STF com esse entendimento.

O órgão descartou que tenha havido desvio de finalidade de Bolsonaro, ao editar o decreto, por ferir a impessoalidade da administração pública. Também disse que o chefe do Executivo pode conceder indulto de ofício e que o mérito da escolha não permite análise do Judiciário.

O documento cita trecho do decreto de Bolsonaro para afirmar que o presidente entendeu que a condenação do congressista “ensejou legítima comoção na sociedade” pois o deputado estaria “resguardado pela inviolabilidade de opinião deferida pela Constituição, que somente fez uso de sua liberdade de expressão”.

A AGU pede que a ação seja extinta por existir processos com o mesmo tema no STF. Há pelo menos outras 4 ações questionando o indulto a Silveira em tramitação na Corte. Estão sob a relatoria da ministra Rosa Weber. A magistrada determinou que o presidente explique o decreto.

No começo da semana, o ministro Alexandre de Moraes, relator da ação penal contra Silveira no STF, disse que o indulto é ato discricionário e privativo do presidente da República, mas que não é um “ato imune ao absoluto respeito à Constituição Federal”. Também disse que é, excepcionalmente, “passível de controle jurisdicional, pois o Poder Judiciário tem o dever de analisar se as normas contidas no Decreto de Indulto, no exercício do caráter discricionário do Presidente da República, estão vinculadas ao império constitucional”. 

The post Extra TBN: AGU diz que outro Poder não pode revisar indulto a Silveira appeared first on Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Extra TBN: AGU diz que outro Poder não pode revisar indulto a Silveira
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

EUA acusam Cuba de usar cúpula como propaganda 

O governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acusou Cuba de criar polêmica sobre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *