Página Inicial / Últimas / Documentos apontam que CIN usou software espião da Abin

Documentos apontam que CIN usou software espião da Abin

Foto: Adriano Machado/OAntagonista

Usado pela Abin entre 2019 e 2021, o FirstMile ficava hospedado em computadores da Diretoria de Operações de Inteligência

A Polícia Federal apreendeu documentos que indicam que servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) lotados no Centro de Inteligência Nacional (CIN) utilizaram o software espião FirstMile durante a gestão de Jair Bolsonaro, registrou a Folha de S. Paulo

Usado pela Abin entre 2019 e 2021, o FirstMile ficava hospedado em computadores da Diretoria de Operações de Inteligência.  

Depoimentos de servidores e documentos de apurações internas da Abin mostram, no entanto, que o software foi utilizado pessoas ligadas ao CIN. 

Ao autorizar a operação Última Milha, em 20 de outubro de 2023, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que um servidor alvo de busca e apreensão era “responsável pela fiscalização contratual do sistema FirstMile e, mesmo transferido de setor, continuou a realizar consultas pelo Centro de Inteligência Nacional”

“O servidor, ainda, tinha plena ciência da característica intrusiva da ferramenta que questionou, na condição de fiscal do contrato, o fato de a empresa fornecedora ter perdido a eficácia em relação a operadora Tim”, acrescentou. 

Invasão de rede de telefonia

A PF investiga a utilização do programa espião FirstMile, durante o governo de Jair Bolsonaro, para tentar invadir a rede de telefonia da TIM no Brasil.

Documentos em posse da PF apontam para o uso da ferramenta para espionagem de desafetos políticos de Jair Bolsonaro, como professores e jornalistas, em um suposto esquema comandado pelo ex-chefe da Abin Alexandre Ramagem.

Além da Abin, a Polícia Federal tornou público que o Exército Brasileiro também estava fazendo uso da ferramenta, e que o filho do general Carlos Alberto Santos Cruz, ex-ministro-chefe da Secretaria Geral de governo no primeiro ano do governo Bolsonaro, estava entre os alvos da operação.

A PF diz que  o sistema de geolocalização utilizado pela Abin é um “software intrusivo” na infraestrutura crítica de telefonia brasileira e se sabia, no início da operação, que o sistema foi invadido reiteradas vezes, com a utilização do serviço adquirido com recursos públicos.

O Centro de Inteligência Nacional 

O Centro de Inteligência Nacional (CIN) foi criado em 2020 por Jair Bolsonaro para planejar e executar atividades de inteligência destinadas “ao enfrentamento de ameaças à segurança e à estabilidade do Estado e da sociedade”, além de implementar a “produção de inteligência corrente e a coleta estruturada de dados”

O CIN é parte de um decreto que criou novas estruturas no organograma da Abin, que na época era chefiada pelo atual deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ). 

Nos cargos de chefia do CIN foram colocados servidores e policiais federais próximos a Ramagem.

O que diz Ramagem? 

À Folha, o deputado Alexandre Ramagem negou irregularidades.

Em nota, ele disse que o “departamento de operações, composto exclusivamente de servidores de carreira da Abin, era o único responsável pela gestão, senhas e execução do sistema”.

O Antagonista

O post Documentos apontam que CIN usou software espião da Abin apareceu primeiro em Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Documentos apontam que CIN usou software espião da Abin
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Campos Neto diz que está disposto a debater PEC com governo Lula

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, demonstrou abertura para negociar com o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *