Página Inicial / Últimas / Gastos com funcionalismo diminuem 10,5% durante governo Bolsonaro e aumentam 2,8% na gestão de Lula

Gastos com funcionalismo diminuem 10,5% durante governo Bolsonaro e aumentam 2,8% na gestão de Lula

Foto: Reprodução.

As despesas com pessoal e encargos sociais da União registraram aumento em 2023. Após três anos de queda, os gastos subiram, em termos reais, 2,8% durante o primeiro ano do terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O país despendeu R$ 369,4 bilhões com esses custos no ano passado, em comparação aos R$ 259,2 bilhões em 2022.

Durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), as despesas com o funcionalismo tiveram uma redução de 10,5%. Foi a primeira gestão desde Fernando Henrique Cardoso que observou essa diminuição em termos reais. Em 2023, Lula concedeu um reajuste de 9% aos funcionários públicos, defendendo aumento salarial e maior contratação no setor público.

Os dados são do Tesouro Nacional de dezembro. Apesar do aumento registrado em 2023, o valor permanece menor do que o registrado anualmente entre 2013 e 2021. A despesa com pessoal e encargos sociais em 2022 foi a mais baixa desde 2009, representando uma diminuição ao longo de 13 anos.

Em abril de 2023, Lula mencionou um “furacão” nos anos anteriores, referindo-se ao governo de Bolsonaro, e destacou a necessidade de melhoria nos serviços públicos. Ele afirmou: “Não é porque estamos no mundo digital que vamos prescindir de seres humanos. Precisamos de gente atrás do balcão para cumprimentar, sorrir, ouvir, dizer sim, não”.

As despesas com pessoal e encargos sociais correspondem a 17,1% do total de gastos da União, segundo dados do Tesouro. A ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, em outubro de 2023, criticou a reforma administrativa proposta pelo governo anterior, afirmando que ela “pune servidores”. O secretário de Gestão de Pessoas do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, José Celso Cardoso Júnior, também se opôs a uma reforma administrativa que fosse “fiscalista” e enfraquecesse o Estado.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Zeca Dirceu (PR), manifestou a oposição da bancada do partido à aprovação de uma reforma administrativa em janeiro de 2024.

O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), defendeu o debate sobre uma proposta para controlar os gastos, prevendo que o governo terá que se envolver nessa discussão até o final do ano de 2023. No entanto, o assunto não avançou durante esse ano.

No governo anterior, o então ministro da Economia, Paulo Guedes, tratou com as carreiras do Estado o adiamento de reajustes salariais, o que gerou discordância dos sindicatos na época. A justificativa era de que toda a população havia sido afetada pela pandemia de covid-19, sendo necessário um esforço conjunto, inclusive do funcionalismo. Antes do segundo turno das eleições presidenciais, Guedes mencionou que os funcionários públicos poderiam ter um aumento real de 2% em 2023.

Próximo reajuste A ministra Esther Dweck declarou que, para 2024, o reajuste dos salários dos funcionários públicos dependerá do “excesso” de arrecadação. Entidades pleiteiam um aumento de até 34,3% em três parcelas. Enquanto isso, o governo propôs um aumento de 9% dividido em duas parcelas: 4,5% em 2025 e 4,5% em 2026.

Com informações do Poder 360.

O post Gastos com funcionalismo diminuem 10,5% durante governo Bolsonaro e aumentam 2,8% na gestão de Lula apareceu primeiro em Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Gastos com funcionalismo diminuem 10,5% durante governo Bolsonaro e aumentam 2,8% na gestão de Lula
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Campos Neto diz que está disposto a debater PEC com governo Lula

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, demonstrou abertura para negociar com o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *