Página Inicial / Últimas / Em evento, Tarcísio sobe o tom: ‘Corrupto tem que ir pro inferno’

Em evento, Tarcísio sobe o tom: ‘Corrupto tem que ir pro inferno’

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, adotou o estilo do presidente Jair Bolsonaro (PL) e, durante encontro com investidores nesta quinta-feira (17), criticou gestões petistas, inclusive as de que fez parte, usou palavrões e disse que corrupto tem de ir para o inferno.

Tarcísio é cotado para disputar o Governo de São Paulo a pedido do chefe, que pretende ter um palanque no estado para ajudá-lo em sua campanha pela reeleição. O ministro disse que deixa a Esplanada até abril para se candidatar, e, sem citar nomes, fez ataques ao atual governador, João Doria (PSDB), e aos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, ambos do PT.

Provocado por participantes em debate da TC -plataforma de investidores-, Tarcísio, sem citar nomes, rechaçou a intenção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de concorrer à Presidência rivalizando com Bolsonaro.

“Corrupto tem de ir para o inferno, para o raio que o parta, para a puta que pariu”, disse. “Por isso que eu não quero ver mais corrupto na Presidência da República. Me preocupa a saudade que alguns têm dessa época.”

Em seu discurso durante uma visita ao interior do Rio Grande do Norte ocorrida na terça-feira (9) da semana passada, o presidente Jair Bolsonaro também fez críticas a ex-presidentes sem citar nomes e utilizou palavrões.

“Durante a transição após as eleições [de 2018] em Brasília, estávamos conversando sobre o que estava acontecendo com o governo anterior e como estava o governo. Descobrimos que a Funai tinha um contato de R$ 50 milhões para ensinar o índio a mexer com bitcoin. Ah, vá para a puta que pariu, porra. Desculpe o palavrão aqui”, disse Bolsonaro, em alusão à Fundação Nacional do Índio.

A declaração de Tarcísio nesta quinta foi dada após uma pergunta sobre os projetos de infraestrutura do passado e os que ele comanda no ministério.

Tarcísio adotou o tom combativo de Bolsonaro ao fazer críticas aos governos de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff, que, segundo ele, implementaram projetos de infraestrutura equivocados e que abriram margem para a corrupção.

O ministro de Bolsonaro, no entanto, esteve à frente do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) no governo da petista. “No passado, a mistura de ideologia com aritmética não deu certo”, disse.

“Houve projetos, como o das rodovias da terceira fase [de concessão] e os dos aeroportos do Galeão (RJ) e Viracopos, em Campinas (SP), que sofreram com erros na projeção de demanda. Terminaram sendo devolvidos.”

Tarcísio enalteceu Bolsonaro pelo convite para comandar o Ministério da Infraestrutura.

“Precisava que um doido assumisse a Presidência da República para que eu chegasse lá [ao ministério]. Esse doido foi Jair Bolsonaro”, disse Tarcísio.

Segundo ele, sob sua gestão, os projetos passaram a ser feitos de forma a despertar o apetite de investidores, o que justifica o sucesso dos leilões.

Em determinado momento do debate, Tarcísio usou o projeto da NovaDutra para se promover. A rodovia, recém-licitada, liga São Paulo ao Rio de Janeiro e, segundo o ministro, por pressão dele, o modelo de concessão foi modificado para permitir que o pedágio caísse 32%, passando de R$ 70 (pelo trecho completo entre as duas cidades) para R$ 46.

A partir daí, Tarcísio fez provocações ao atual governador, João Doria.

“O Rodoanel já poderia ter saído. O Metrô poderia ter autofinanciamento [o que permitira sua ampliação]. Falta criatividade”, disse o ministro insinuando que tomará medidas mais ousadas para promover o desenvolvimento do estado.

Tarcísio usou seus feitos no ministério para mostrar que está habilitado para assumir o governo paulista. Disse que, como ministro, aprendeu a fazer política, algo fundamental para ter realizado mais de 125 leilões de infraestrutura que renderam R$ 820 bilhões em investimentos contratados.

“O que eu prometo, eu entrego”, disse em resposta a uma pergunta de um analista que insinuou que o atual governador não cumpriu suas promessas de campanha.

O ministro negou pretender formar um governo de coalização caso seja eleito governador. Tarcísio disse que seu time contará com nomes técnicos, reproduzindo o que fez no ministério.

Afirmou que o Ministério da Infraestrutura teve sucesso com independência de sua equipe, sempre fiel a ele a seu projeto.

Segundo ele, não fosse assim, não teria conseguido vencer a pressão no Congresso Nacional contra a abertura do mercado de ônibus de passageiros ou a cabotagem.

“Não existe a dicotomia entre ser ministro e ser político”, disse. “A partir do momento que você é ministro, você também é político. Não teria aprovado todos esses projetos se não tivesse ido aos gabinetes [de parlamentares e ministros do Tribunal de Contas da União]. Isso tudo é política.”

The post Em evento, Tarcísio sobe o tom: ‘Corrupto tem que ir pro inferno’ appeared first on Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Em evento, Tarcísio sobe o tom: ‘Corrupto tem que ir pro inferno’
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

PT defende envio de bilhões do BNDES para financiar obras de governos ditatoriais

A ex-presidente da Caixa Econômica Federal e ex-ministra do Planejamento Miriam Belchior, defendeu o envio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *