Página Inicial / Últimas / Lula volta a chamar conflito em Gaza de “genocídio” durante reunião na Guiana

Lula volta a chamar conflito em Gaza de “genocídio” durante reunião na Guiana

foto: Ricardo Stuckert / PR

Nesta quarta-feira (28), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a chamar a guerra na Faixa de Gaza de genocídio, em sua fala no encontro de líderes do Caribe em Georgetown, capital da Guiana.

“Uma guerra na distante Ucrânia afeta todo o planeta, porque encarece os preços dos alimentos e dos fertilizantes. O genocídio na Faixa de Gaza afeta toda nossa humanidade, porque questiona nosso próprio senso de humanidade, e confirma uma vez mais a preferência pelos gastos militares em vez de investimentos ao combate à fome, na Palestina, Áftica, América do Sul e Caribe”, disse o presidente durante a reunião da Caricom (Comunidade do Caribe).

Petista tem criticado a defesa de Israel ao ataque do grupo terrorista que desencadeou a guerra em 7 de outubro. Em sua declaração mais recente, que colocou o Brasil em meio a uma crise diplomática, Lula comparou a situação na Faixa de Gaza com as mortes de judeus por Hitler durante a segunda-guerra mundial

Em resposta aos desdobramentos, Lula esclareceu que não usou a palavra “Holocausto” em seu discurso e reiterou a defesa do Brasil pelo cessar-fogo e pela abertura de corredores humanitários.

As autoridades israelenses também alteraram o protocolo para reuniões com representantes estrangeiros, decidindo realizar uma reunião com o embaixador do Brasil no Museu do Holocausto em Jerusalém, em resposta às declarações de Lula, o que foi criticado por diplomatas brasileiros.

Além disso, o ex-presidente mencionou outros conflitos mundiais, como o da Ucrânia, alertando para os impactos negativos dessas situações, como a destruição e o aumento dos preços dos alimentos. Ele evitou mencionar diretamente a tensão entre Venezuela e Guiana sobre a região de Essequibo, na qual o Brasil tem atuado como mediador.

“Não é possível que o mundo gaste por ano US$ 2,2 trilhões em armas. Todos sabemos que guerras provocam destruição, sofrimento e mortes, sobretudo de civis e inocentes. O Brasil seguirá lutando pela paz mundial. Uma guerra na distante Ucrânia afeta todo o planeta porque encarece os preços de alimentos e fertilizantes.”

Lula destacou a importância da Caricom em seu discurso, ressaltando a necessidade de manter a região como uma zona de paz, apesar das rivalidades geopolíticas.

“A Caricom abriu-se para o Sul, rejeitando a condição de zona de influência de potências alheias à região. Temos o desafio de manter nossa autonomia em meio a rivalidades geopolíticas. Cabe a nós manter a região como zona de paz. Abrigamos sociedades multiétnicas, entrelaçadas por culturas vibrantes”, disse o petista

O ex-presidente viajou para Georgetown para participar da cúpula da Caricom e posteriormente seguirá para São Vicente e Granadinas, onde discutirá o conflito entre Guiana e Venezuela e se encontrará com o presidente Nicolás Maduro.

Gazeta Brasil

O post Lula volta a chamar conflito em Gaza de “genocídio” durante reunião na Guiana apareceu primeiro em Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Lula volta a chamar conflito em Gaza de “genocídio” durante reunião na Guiana
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Avança no Congresso projeto que tira sigilo dos dados de pedófilos

Marcello Casal/Agência Brasil) Projeto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *