Web Statistics
Bolsonaro sofre a primeira derrota na Câmara, que suspendeu decreto presidencial que trata de sigilo de dados públicos | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Últimas / Bolsonaro sofre a primeira derrota na Câmara, que suspendeu decreto presidencial que trata de sigilo de dados públicos

Bolsonaro sofre a primeira derrota na Câmara, que suspendeu decreto presidencial que trata de sigilo de dados públicos

Ao aprovar texto, plenário impôs derrota ao governo; decreto foi assinado em janeiro pelo vice Hamilton Mourão. Líder do governo liberou bancada durante a votação; texto vai ao Senado

A Câmara dos Deputados impôs nesta terça-feira (19) a primeira derrota ao governo Jair Bolsonaro e aprovou, em votação simbólica, projeto que suspende os efeitos do decreto presidencial que permite a servidores comissionados e dirigentes de fundações, autarquias e empresas públicas impor sigilo secreto ou ultrassecreto a dados públicos.

Informações classificadas como ultrassecretas podem se tornar públicas após 25 anos. Trata-se do grau máximo de sigilo. Além deste, há o grau secreto, que impõe 15 anos de sigilo, e o reservado, que protege a informação por 5 anos. Os demais documentos, sem nenhuma dessas classificações, devem ser disponibilizados ao público.

O decreto, assinado em janeiro pelo então presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, alterou as regras de aplicação da Lei de Acesso à Informação (LAI), que criou mecanismos que possibilitam a qualquer pessoa (física ou jurídica) o acesso às informações públicas dos órgãos e entidades, sem necessidade de apresentar motivo.

Antes da publicação do decreto, a classificação dos documentos só podia ser feita pelo presidente e vice-presidente da República, ministros de Estado e autoridades equivalentes, além dos comandantes das Forças Armadas e chefes de missões diplomáticas no exterior.

Com a publicação do decreto, ficou aberta a possibilidade de que autoridades deleguem a comissionados a classificação de informações ultrassecretas ou secretas

O projeto aprovado pela Câmara suspende os efeitos do decreto e proíbe que servidores comissionados possam analisar e classificar os dados. Com a aprovação, o texto seguirá para análise do Senado.

Câmara impôs a primeira derrota a Jair Bolsonaro

Bancada governista

Antes da votação do mérito da proposta, os deputados aprovaram a urgência para análise do projeto, o que viabilizou a votação da proposta diretamente no plenário, sem que o texto passasse pelas comissões temáticas da Casa.

Na votação da urgência, o plenário impôs uma derrota ao governo: foram 366 votos a favor da urgência, 57 contrários e 3 abstenções. Além dos votos da oposição, a aprovação da urgência contou com apoio massivo de partidos da base aliada.

O líder do governo, major Vitor Hugo (PSL-GO), liberou a bancada para votar como entendesse, assim como o DEM, um dos principais partidos da base aliada do presidente Jair Bolsonaro.

O PSL, por sua vez, orientou a bancada a votar contra a urgência: 50 deputados do partido votaram contra a urgência, mas dois foram favoráveis a análise do texto: o presidente do partido, Luciano Bivar (PE), e o deputado Coronel Tadeu (SP).

Apesar de o painel eletrônico registrar voto favorável de Bivar, nos microfones, o presidente do PSL afirmou que votou contra a urgência.

Governo comenta

Após a votação, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que o governo não considera “de forma alguma” que o projeto aprovado pela Câmara seja uma derrota do Planalto.

Apesar disso, afirmou que, em uma “democracia consolidada”, as derrotas “são aceitas naturalmente”.

“Em uma democracia consolidada, as derrotas são aceitas naturalmente. […] O governo não considera de forma alguma como derrota o fato do Congresso pedir analise mais aprofundada no que toca a Lei de Acesso à Informação”, afirmou o porta-voz.

G1 – Fernanda Vivas, TV Globo



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Bolsonaro sofre a primeira derrota na Câmara, que suspendeu decreto presidencial que trata de sigilo de dados públicos
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Onze pessoas são mortas em chacina em Belém do Pará

Onze pessoas foram mortas em um bar localizado no bairro do Guamá, em Belém (PA), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *