Página Inicial / Últimas / Dirigente da sigla de Sergio Moro é réu e foi condenado por nepotismo

Dirigente da sigla de Sergio Moro é réu e foi condenado por nepotismo

O presidente do Podemos no Paraná, partido e estado de Sergio Moro, César Silvestri Filho, é réu e já foi condenado por nepotismo e teve auxiliares presos quando foi prefeito. Silvestri Filho tem sido presença constante na campanha de Moro. Compareceu às filiações do ex-juiz da Lava Jato, no mês passado em Brasília, e de Deltan Dallagnol, ex-chefe da operação, na última sexta-feira (10/12) em Curitiba.

Moro e Dallagnol se tornaram colegas do presidente estadual do Podemos: Moro é vice-presidente, ao passo que Dallagnol é segundo vice-presidente. É por meio desse cargo que Moro recebe um salário de R$ 22 mil da sigla. A informação é do Portal Metrópoles.

Silvestri Filho foi prefeito de Guarapuava, cidade paranaense de 180 mil habitantes, de 2012 a 2020. Nesse período, ele e sua equipe foram alvos da Justiça.

Em 2013, dois auxiliares do prefeito foram presos: a secretária de Educação, Sandra Zannette, e o secretário de Obras, Edson Sanches. Segundo o Ministério Público estadual, a prefeitura fraudou uma licitação para o espetáculo “A paixão de Cristo”. A licitação só aconteceu dois meses depois do evento. Em depoimento, a secretária de Educação admitiu envolvimento na fraude.

Dois anos depois, o prefeito, dois outros secretários e um assessor foram condenados por improbidade administrativa pela prática de nepotismo. Antes da condenação de Silvestri Filho por improbidade administrativa, a prefeitura havia sido obrigada pela Justiça a exonerar sete servidores nomeados por serem familiares da cúpula do município.

Esse processo por nepotismo da prefeitura corre atualmente no Superior Tribunal de Justiça (STJ). No mês passado, o tribunal negou um recurso de Silvestri Filho.

No Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), o presidente do Podemos responde a outro processo por improbidade administrativa, aberto em 2015. Neste caso, é questionado por ter empregado ao mesmo tempo um servidor em seu gabinete na Assembleia Estadual paranaense e no seu partido à época, o PPS, atual Cidadania.

Além de abrigar Moro e Dallagnol, o diretório paranaense do Podemos é estratégico para o partido: todos os três senadores do estado são da sigla, incluindo Alvaro Dias, que em 2018 concorreu ao Planalto.

Procurada, a defesa de Silvestri Filho afirmou que o Ministério Público apontou nepotismo entre os servidores nomeados, nenhum deles parentes do então prefeito. “Havia imputação tão somente de violação a princípios da administração pública, sem qualquer lesão ao erário ou dolo”, afirmou o advogado Gustavo Guedes, acrescentando que a pena foi uma multa.

Sobre o processo que tramita no TJ-PR, a defesa declarou que tem “confiança na improcedência” da acusação.

“As situações são consideradas de pouca gravidade, com imposição de multa civil por violações a princípios, afastadas, assim, penas mais graves, como a suspensão de direitos políticos, ressarcimento ao erário e a impossibilidade de contratar com o poder público”, seguiu o comunicado.

The post Dirigente da sigla de Sergio Moro é réu e foi condenado por nepotismo appeared first on Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Dirigente da sigla de Sergio Moro é réu e foi condenado por nepotismo
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Diretor de entidade: vitória de Lula ajudaria a levar o continente ao precipício

Eleições no Brasil e na Colômbia em 2022 podem reconstruir hegemonia da esquerda na América …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *