Página Inicial / Últimas / Último Minuto: França se torna o primeiro país do mundo a incluir o aborto na Constituição

Último Minuto: França se torna o primeiro país do mundo a incluir o aborto na Constituição

Nesta segunda-feira (4), a França alcançou um marco significativo ao dar o último passo para se tornar o primeiro país do mundo a incluir o acesso ao aborto em sua Constituição. Durante a reunião conjunta das duas casas do Parlamento em Versalhes, destinada a votações constitucionais, o projeto que visa a constitucionalização do aborto foi aprovado por uma ampla maioria. Dos 852 deputados e senadores presentes, 780 votaram a favor e 72 votaram contra.

Após a promulgação pelo presidente francês, o que deve acontecer na sexta-feira (8), Dia da Mulher, o artigo 34.º artigo da Constituição francesa passará a prever a “liberdade garantida da mulher de recorrer ao direito à interrupção voluntária da gravidez [IVG, sigla usada para se referir ao aborto na França]”. 

Raízes históricas por trás da mudança

A decisão de constitucionalizar o aborto na França, considerada histórica por movimentos feministas e partidos de esquerda, reflete uma construção ao longo de séculos.

A luta pelos direitos femininos na França tem profundas raízes históricas. Já no século XV, a escritora Christine de Pizan defendia o direito das mulheres à educação. Três séculos depois, Olympe de Gouges criticou a exclusão das mulheres da “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão” durante a Revolução Francesa de 1789. Em 1949, no livro “O Segundo Sexo”, Simone de Beauvoir estabeleceu as bases do feminismo moderno ao abordar a opressão das mulheres em um mundo dominado pelos homens.

A França, desde o início do século passado, também se destacou ao separar a Igreja do Estado em 1905, por meio da Lei da Laicidade, afastando a religião das discussões políticas.

Esses elementos contribuem para explicar por que 86% dos franceses apoiam a constitucionalização do aborto, conforme revelou uma pesquisa no final de 2022. Essa taxa é significativamente superior à do Brasil, onde a aprovação ao aborto é de 39%.

O apoio massivo da população francesa levou os senadores a admitirem que votaram a favor do texto para evitar críticas. Em 28 de fevereiro, o Senado francês, predominantemente de orientação direitista, aprovou o projeto por ampla maioria, com 267 votos favoráveis e 50 contrários.

Com informações de CNN

O post Último Minuto: França se torna o primeiro país do mundo a incluir o aborto na Constituição apareceu primeiro em Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Último Minuto: França se torna o primeiro país do mundo a incluir o aborto na Constituição
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Avança no Congresso projeto que tira sigilo dos dados de pedófilos

Marcello Casal/Agência Brasil) Projeto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *