Página Inicial / Últimas / Câmara aponta fraude em e-mail racista e pede à Justiça para liberar votação de cassação de vereador petista que invadiu igreja

Câmara aponta fraude em e-mail racista e pede à Justiça para liberar votação de cassação de vereador petista que invadiu igreja

Cerca de 24 horas depois da decisão liminar que suspendeu a sessão extraordinária da Câmara Municipal de Curitiba para a votação da Cassação de Renato Freitas, a Procuradoria Jurídica da Câmara recorreu de decisão e compartilhou com a Justiça resultado parcial da sindicância aberta para apurar a origem de e-mail racista contra o vereador. A votação foi suspensa pela juíza Patricia de Almeida Gomes Bergonse, da 5ª Vara de Fazenda Pública até a conclusão da sindicância, que investiga quem foi o autor da mensagem, que tinha como remetente o endereço eletrônico do vereador Sidnei Toaldo (Patriota), relator do processo contra Freitas no Conselho de Ética da Câmara.

No recurso, a procuradoria da Câmara aponta que o endereço eletrônico de Toaldo foi utilizado de forma fraudulenta e pede que a Justiça autorize a realização da sessão para votar a perda de mandato de Freitas. “Verificou-se que para o seu envio [do e-mail com ofensas racistas] foi utilizado um serviço de envio de e-mails anônimo, hospedado na República Tcheca, que não armazena logs, ou seja, não guarda registros para auditoria/mapeamento de informações, tais como data, hora, IP etc. Percebe-se, então, que houve claro objetivo de forjar o remetente da mensagem, simulando as credenciais de envio como sendo as do vereador Sidnei Toaldo”. É o que diz a análise da Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicações (DTIC) da CMC, que identifica textualmente o serviço usado para a fraude do envio.

“A sindicância apenas não foi concluída, pois, como informado pela área técnica, há diligências efetuadas junto à empresa fornecedora Serpro pendentes de retorno, mas que em nada mudam o fato de que o e-mail foi forjado e não partiu da conta institucional do vereador Sidnei Toaldo”, justifica a Procuradoria Jurídica da CMC.

O e-mail racista foi recebido por Renato Freitas em 9 de maio e a sindicância aberta no último dia 11. O prazo para conclusão da investigação era de 30 dias úteis, mas em 9 dias corridos, a Corregedoria da Câmara diz já ter elementos suficientes para assegurar que o e-mail foi forjado.

O vereador do PT corre o risco de perder o mandato por ter participado de invasão da Igreja do Rosário, dia 5 de fevereiro, durante ato contra o racismo. Após derrota no Conselho de Ética, a cassação será definida em plenário, mas a sessão em questão acabou suspensa pela liminar judicial.

No final da tarde desta sexta-feira, a Desembargadora Astrid Maranhão de Carvalho Ruthes, do Tribunal de Justiça do Paraná, indeferiu o pedido de liminar da Câmara, para que a suspensão da sessão de cassação fosse imediatamente derrubada. Agora, é preciso aguardar o julgamento do mérito do Agravo de Instrumento.

The post Câmara aponta fraude em e-mail racista e pede à Justiça para liberar votação de cassação de vereador petista que invadiu igreja appeared first on Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Câmara aponta fraude em e-mail racista e pede à Justiça para liberar votação de cassação de vereador petista que invadiu igreja
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Justiça determina que Maluf pague multa de R$ 2,87 milhões por improbidade 

Nesta segunda-feira (04), a Justiça de São Paulo determinou que ex-prefeito Paulo Maluf pague uma multa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *