Página Inicial / Últimas / Militares Venezuelanos que se declararam gay antes do regime de Maduro estão sendo torturados e expulsos: “era brincadeira, sou homem, gritou um deles”

Militares Venezuelanos que se declararam gay antes do regime de Maduro estão sendo torturados e expulsos: “era brincadeira, sou homem, gritou um deles”

O capitão José desertou após anos de pressão. Para o tenente Rafael abriram um julgamento e o expulsaram. Ambos tinham fichas limpas na Força Armada da Venezuela, mas ser homossexual lhes valeu perseguição, discriminação e humilhações.

Segundo o Código Orgânico da Justiça Militar vigente, “atos contra a natureza” podem levar a três anos de prisão e uma saída desonrosa,  o que obriga militares homossexuais a se manterem enrustidos.

https://platform.twitter.com/widgets.js

Após várias reformas, a mais recente em setembro de 2021, o código mantém o artigo sem alterações, apesar dos pedidos feitos por ativistas ao Parlamento, de maioria governista.

— É mais grave ser gay do que ser corrupto — lamenta José, como pediu para ser chamado este capitão da Guarda Nacional, de 36 anos. — Há militares corruptos, ladrões, narcotraficantes, que são sancionados e seguem trabalhando como se nada tivesse acontecido.

José guarda em seu celular uma fotografia onde se vê uma parte careca em sua cabeça:

— Era tamanha a pressão que fazia cair o meu cabelo.

Já Rafael, de 37 anos, tenente expulso do Exército, lembra que o controle é rigoroso:

— A primeira pergunta que te fazem na entrevista de ingresso é qual é sua orientação sexual: homossexual, bissexual ou heterossexual? Se você não responde que é heterossexual está descartado; ali começa o primeiro filtro — aponta.

Fontes escutam que alguns até dizem que são homens para fugir da penalidade.

Teste de polígrafo

O pesadelo de José começou em 2017, quando foi investigado “um grupo grande de militares para determinar quem era gay”.

Ele não era casado e não tinha filhos, requisitos obrigatórios para ascender a patentes superiores. Embora muitos se casem para salvar sua carreira, José se negou a usar esse artifício, mantendo em segredo uma relação com um homem.

Ficou quatro dias detido:

— Foram os piores quatro dias da minha vida — relata em lágrimas.

The post Militares Venezuelanos que se declararam gay antes do regime de Maduro estão sendo torturados e expulsos: “era brincadeira, sou homem, gritou um deles” appeared first on Terra Brasil Notícias.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Militares Venezuelanos que se declararam gay antes do regime de Maduro estão sendo torturados e expulsos: “era brincadeira, sou homem, gritou um deles”
FONTE: Terra Brasil

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Urgente: Pablo Marçal tem candidatura à Presidência revogada por direção do Pros pró-Lula

Após decisões judiciais, a direção pró-Lula do Pros definiu pela retirada da candidatura presidencial do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *