Web Statistics
Caso de menino de 7 anos que trabalha como entregador gera revolta na China | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Brasil / Caso de menino de 7 anos que trabalha como entregador gera revolta na China

Caso de menino de 7 anos que trabalha como entregador gera revolta na China

Painel Político – Notícias no Whatsapp sobre política, economia, artigos, jurídico, cultura e viagens.

Um vídeo publicado no site Pear Video, um site popular em território chinês, mostra o menino, apelidado de “Pequeno Li” nas redes sociais, entregando pacotes na cidade de Qingdao, no leste da China. As imagens foram vistas mais de 18 milhões de vezes.

O Pear Video afirma que o Pequeno Li perdeu o pai e perdeu contato com sua mãe após ela se casar novamente. O garoto vive com um amigo de seu pai desde os três anos.

Esse homem trabalha com entregas, e o menino passou a acompanhá-lo nesses momentos depois de eles se mudarem da região rural da Província de Shandong. Hoje, o garoto faz entregas sozinho.

Nas redes sociais, muitos disseram estar tristes com a situação do garoto e manifestaram preocupação com seu bem-estar e o desejo de que ele tenha uma “vida melhor”.

“Problemas de família sempre afetam mais as crianças”, disse um usuário sobre o caso.

‘Tragédia’

Menino fazendo entregas na China
Vídeo gerou debate sobre crianças pobres e problemas na educação da China | Foto: Reprodução/Pear Video

O vídeo também foi o ponto de partida para um debate sobre crianças pobres na China.

Alguns usuários classificaram a condição do Pequeno Li como uma “tragédia” e apontaram falhas no sistema de seguridade social chinês.

Outros comentaram sobre o plano do governo de erradicar a pobreza até 2020, dizendo que a meta está “em um futuro distante”.

Segundo órgão dedicado à causa, ligado ao Ministério de Assuntos Civis do país, há 43,35 milhões de pessoas pobres no país, que tem mais de 1,3 bilhão de habitantes.

Várias pessoas questionaram a aceitação do trabalho infantil na sociedade chinesa e lamentaram que algumas crianças não possam ter uma infância feliz e livre de preocupações.

Na rede social Weibo, a mais popular do país, usuários cobraram providências das autoridades quanto à situação do Pequeno Li. “Que menino incrível”, comentou uma pessoa. “Espero que o serviço social faça uma campanha de financiamento coletivo para dar a ele uma vida melhor.”

Outro usuário escreveu: “Deveriam ajudar o garoto e processar sua mãe”. Em reação a essa mobilização, autoridades locais confirmaram que estão avaliando o caso, segundo o site estatal de notícias China Daily.

Do ‘menino de gelo’ ao ‘Pequeno Li’

A história do Pequeno Li é apenas o mais recente de uma série de exemplos de “crianças abandonadas” que causaram revolta no país.

Ainda que a mídia estatal busque controlar as discussões em torno de certas questões sociais, os apelos em nome de crianças pobres e abandonadas é um assunto amplamente coberto por veículos oficiais.

Muitos nas redes sociais traçaram um paralelo entre o Pequeno Li e outro menino, Wang, de 8 anos, apelidado de “menino de gelo” após ser fotografado com o cabelo e as sobrancelhas congelados depois de caminhar 4,5 km para chegar à escola.

Um dos comentários dizia: “Do ‘menino de gelo’ ao menino das entregas, todas essas crianças são de famílias pobres”.

Ao China Daily, o diretor de uma organização de caridade para crianças confirmou que o Pequeno Li agora estava sob os cuidados da ONG. As autoridades também estão matriculando o garoto em uma escola, segundo relatos à imprensa chinesa.

George Pierpoint e Kerry Allen

Caso de menino de 7 anos que trabalha como entregador gera revolta na China



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Caso de menino de 7 anos que trabalha como entregador gera revolta na China
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *