Web Statistics
MPF denuncia 17 PMs por torturar homem até a morte e ocultar corpo; veja a lista de denunciados | Gazeta de Rondônia

Página Inicial / Brasil / MPF denuncia 17 PMs por torturar homem até a morte e ocultar corpo; veja a lista de denunciados

MPF denuncia 17 PMs por torturar homem até a morte e ocultar corpo; veja a lista de denunciados

Painel Político – Notícias no Whatsapp sobre política, economia, artigos, jurídico, cultura e viagens.

Dezessete policiais militares foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF), na segunda-feira (15) por agredir até a morte e ocultar o corpo de Célio Roberto Ferreira de Sousa, além de torturar outras quatro pessoas, em Goiânia. O caso ocorreu há quase 10 anos e o cadáver da vítima nunca foi encontrado.

A Polícia Militar informou, em nota, que, até que sejam julgados, os integrantes da corporação são considerados inocentes. Além disso, eles seguem trabalhando em diversas unidades (veja a nota na íntegra ao fim do texto).

O crime ocorreu por volta das 22h de 11 de fevereiro de 2008, na Borracharia Serra Dourada, no Setor Jardim Goiás. Segundo a investigação da Polícia Federal, a vítima estava no local com a namorada e mais três pessoas para consumir crack.

Sousa estava dentro da casa localizada no fundo do lote quando militares chegaram em cinco carros, sendo um descaracterizado. Parte dos militares arrombaram o portão e invadiram o local.

Outros quatro PMs permaneceram do lado de fora. Segundo testemunhas, foram ao bar localizado próximo à borracharia e ordenaram o fechamento do estabelecimento.

Tortura

Durante a abordagem, os militares detectaram indícios de consumo de droga e passaram a questionar o grupo sobre onde estava o traficante responsável pelo local. Em seguida, segundo o relato de testemunhas aos investigadores, os policiais determinaram que todos se deitassem no chão, e, na sequência, passaram a espancá-los para que entregassem informações sobre o tráfico de drogas na região.

Em depoimento, a namorada de Sousa disse que foi levada a um cômodo da borracharia, obrigada a tirar a roupa para mostrar que não portava drogas e questionada, novamente, sobre quem seria o dono do local.

Testemunhas relataram as agressões sofridas por Sousa (Foto: Reprodução)Testemunhas relataram as agressões sofridas por Sousa (Foto: Reprodução)

Testemunhas relataram as agressões sofridas por Sousa (Foto: Reprodução)

MPF denuncia 17 PMs por torturar homem até a morte e ocultar corpo; veja a lista de denunciados



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:MPF denuncia 17 PMs por torturar homem até a morte e ocultar corpo; veja a lista de denunciados
FONTE: PAINEL POLÍTICO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do GAZETA DE RONDÔNIA.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: contato@gazetaderondonialcom.br ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Greve de caminhoneiros faz governo estender vacina contra gripe

Sem transporte ou com pouco combustível, muitas pessoas não conseguiram chegar até os postos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *